O pequeno manual cuja capa está à vista, destina-se a «introduzir» ou «elucidar» os interessados na nova técnica que, depois de bastante utilizada em Portugal, desde 1973/75, com uma experiência pessoal, seguida de várias outras, com óptimos resultados verificados em muitas pessoas desde 1980, mostrou-se, entre todas, bastante mais económica, expedita, cómoda, fácil de aplicar, duradoura e propiciadora de uma prevenção e profilaxia que se pode estender a toda a família, melhorando também o desempenho pessoal e o ambiente laboral e profissional.
Fui especialmente incentivado pelo falecido Dr. Ramos de Sousa, bibliotecário do ISMAT, a preparar este livro publicado agora, para dar aos interessados todas as informações possíveis, tal como fazia, nos anos 70/80, no Jornal de Queluz. Foi a partir deste incentivo, que a ideia da colecção inicial de 17 livros começou a ganhar ainda mais força e consistência do que a partir de 1980, com a reformulação de todos os livros publicados e a preparação de outros, com novos «casos», com os bons resultados comprovados ao longo do tempo.

Presentemente, com todo o acervo acumulado em mais de 40 anos de experiência em psicopatologia, psicoterapia, reeducação, psicologia social, docência e desenvolvimento pessoal, a sua essência pode servir para ministrar cursos ou formação, como se diz actualmente, a novos psicólogos que se preocupem bastante com a rápida recuperação dos seus pacientes, deixando-os precavidos contra as dificuldades que, normalmente, vão surgindo no dia-a-dia de todos. Também pode ajudar grupos de pessoas interessadas no seu reequilíbrio, na sua prevenção e profilaxia ou até no desenvolvimento pessoal e melhoria de vida psíquica.

A leitura deste livro, orienta para a consulta dos livros necessários para a compreensão do funcionamento do comportamento humano e para o treino que cada um deve manter para a resolução dos seus problemas com pouca ajuda do psicoterapeuta ou até autonomamente, mesmo sem a consulta do psicólogo. As dificuldades sentidas em muitas situações da vida, constantemente, quase por todos, podem ser ocasionadas pelo meio ambiente, mas situam-se essencialmente e começam a «tomar forma» na «cabeça» de cada um. Só lidando com «essa cabeça», aproveitando todas as oportunidades e contingências positivas, é que as dificuldades podem ser superadas, ultrapassadas ou evitadas, porque elas existem e sempre existirão, não havendo outra forma de as evitar. O medicamento que é frequentemente utilizado, apenas pode ajudar a «quase anestesiar» uma pessoa, para que ela não sinta essas dificuldades, sem nunca as conseguir reduzir e, muito menos, evitar.  

Os diversos «casos» descritos em vários livros incluídos na colecção com o nome deste livro, demonstram isso ao pormenor. Devido a várias sugestões, comentários, pedidos e críticas, deve haver, em breve, um novo livro, solicitado por várias pessoas, com cerca de 104 páginas, intitulado «PSICOTERAPIA…através de LIVROS…», dando indicações do modo como se pode «explorar» ao máximo e proveitosamente a utilização dos restantes 17 livros, para uma melhor psicoterapia, psicopedagogia , interacção soaicl ou desenvolvimento pessoal, se possível, autonomamente ou com pouca ajuda do psicólogo. 

Sabendo o modo como o comportamento humano funciona isoladamente e em interacção com o meio ambiente, essencialmente em função de causas/efeitos (e não de culpas/desculpas-justificações) e analisando em profundidade a vida de cada um nas condições gerais, a Terapia do Equilíbrio Afectivo  (TEA) e a Imaginação Orientada (IO)), com o apoio da autohipnose num relaxamento mental profundo, podem ajudar não  só a resolver, mas até a prevenir desequilíbrios psicológicos e a melhorar o desempenho de cada um, com a utilização conjunta e conjugada da reestruturação cognitiva, análise profunda do passado e modificação do comportamento, necessária num sentido de Logoterapia.

Para isso, torna-se importante que cada um possa recordar o passado e o presente para compreender toda a situação, sentindo, percebendo, raciocinando e analisando tudo com total objectividade, humildade, realismo e pragmatismo para descobrir as causas dos efeitos que não interessam, «engendrando» um futuro melhor e podendo, em muitos casos, resolver a situação antes que ela se manifeste, da pior maneira possível e com muita mágoa dos que tiverem de ficar na sua dependência.

(Centro de Psicologia Clínica)ISBN 978-972-725-034-9   
14×21 [cm] / 68 páginas,  € 9.00 

Os pedidos para este e outros livros já publicados devem ser feitos para:
E-mail:  [mariodenoronha@gmail.com]

*****************

A prática da Biblioterapia, de facto, num sentido psicoterapêutico, foi iniciada pessoalmente em 1973/75 e prolongada posteriormente com 71 pacientes, em casos de depressão, dificuldades comportamentais, dificuldades escolares, enurese, fobia, obsessão, sentimentos de inferioridade e tiques, numa investigação, experimentação e aplicação da Terapia do Equilíbrio Afectivo (TEA).

Esta tese defendida em 1980, com resolução de 23% dos casos, acrescida de melhoria de 63%, perfazendo um total de 86% de sucesso, foi enviada, de imediato, para a “APA” (American Psychological Association), bem como para a “BPS” (British Psychological Society).

Só passados 10 anos, em 1990, Martin Seligman publicou o seu estudo sobre a Psicologia Positiva.

A prática da Imaginação Orientada (IO) já iniciada e experimentada desde 1974, mas aplicada mais sistematicamente, a partir de 1980, de maneira muito informal e incipiente com o Júlio, (E), teve como suporte uma biblioterapia com apontamentos policopiados, mas deu um resultado mais do que surpreendente.
Nessa ocasião, com o Júlio, resumiu-se apenas à leitura de muitos apontamentos, policopiados para aulas de Psicologia e Psicopatologia, complementada com a prática do relaxamento mental e da Imaginação Orientada com autohipnose, à mesa de um velho café, durante cerca de 60 horas, distribuídas por 19 dias, em 8 semanas, além de 2 sessões da prática de relaxamento num hospital.

Só passadas duas décadas, no início deste século, a biblioterapia, começou a ser utilizada, no Reino Unido, com a «prescrição de livros» para diversos casos, incluindo a depressão, que é o «mal» mais frequente nas nossas sociedades chamadas «civilizadas».
Parece que está a ser seguida também nos EUA e no Brasil, devido ao aumento dos desequilíbrios psicológicos e da exiguidade dos meios terapêuticos postos à disposição pelos diversos Serviços de Saúde do mundo inteiro, apesar de se intitular «desenvolvido» e «civilizado».

Esta nossa prática, apresentando uma melhoria de bastante mais do que os 86% já anteriormente atingidos, incluindo a resolução de muitos «casos» e a prevenção e profilaxia de outros, foi utilizada autonomamente pelo Antunes (B), com resultado surpreendente, logo depois do início do apoio que ele deu à filha por causa de dificuldades escolares, originadas nela pelos «problemas» dele.

Nem sempre é possível fazer uma autoterapia como a do Antunes, sem compreender bem o modo como funciona o comportamento humano isoladamente e na sua interacção social e sem praticar e manter alguns exercícios necessários, mas muito fáceis de executar.

Praticando o que é necessário durante cerca de 15 minutos, comodamente em casa, à hora de ir dormir, tanto a Cidália (C) como a Cristina, a Germana, o Januário (L), conseguiram resolver os seus problemas com pouca ajuda do psicólogo mas muita leitura, treino e persistência. Contudo, a Cristina só compreendeu isso com «muita conversa», porque achava que «não estava maluca».

Por não terem tido o apoio necessário em tempo devido ou por o ambiente não os ter ajudado, os casos do «Mijão», do «Calimero», da «Perfeccionista» e do «Pasteleiro» (M) foram resolvidos muito tarde, com pouca eficácia ou ficaram sem ser resolvidos porque os médicos só se preocuparam com os diagnósticos e com a prescrição de medicamentos.

Entretanto, já em 1977, só com a aplicação da Terapia do Equilíbrio Afectivo, (TEA) tinham sido resolvidos dois casos, um de depressão da Isilda (H), originado por uma «educação» muito restritiva e outro, de «psicopatia?» do Joel (G), que nunca tinha tido uma família que o «educasse» devidamente, com o afecto e orientação necessárias, apesar de estar, como interno, num «bom» colégio religioso.

Para que isto não acontecesse, especialmente por causa das divergências numa «educação» inadequada, os pais da Joana (D) que estavam em vias de «des-união» foram ajudados a compreender os mecanismos do comportamento humano e a utilizar as técnicas da modificação do comportamento, o que os ajudou na «re-união», a ponto de terem um filho que serviu para que a Joana «birrenta» aplicasse com ele as técnicas anteriormente ensaiadas com ela.

Para que tudo possa ser devidamente compreendido e utilizado, quer na psicoterapia ou autoterapia, como na reeducação e reabilitação, e até no desenvolvimento pessoal ou gestão empresarial, a colecção dos 17 livros aqui mencionados nos diversos links, fica exposta e apresentada neste livro, quase folheto, intitulado BiblioTerapia, além dos  posts destinados a dar, a todo o momento,  respostas às perguntas ou dúvidas dos interessados, tal como acontece com o blog dedicado a dar respostas, a comentários anonimamente feitos, sobre as dificuldades psicológicas dos comentadores ou seus familiares e amigos.

Esta colecção poder ser eventualmente aumentada com um novo livro «PSICOTERAPIA… através de LIVROS…» (R) dando uma visão mais global de tudo e uma orientação relacionada com os livros da colecção para que exista uma Bibliofilia e uma prática eficaz da Biblioterapia. Por isso, desejando adquirir os livros, consulte o post Bem-vindos.

 **********************

colecção de 17+1 livros, com o mesmo nome, apresentada a seguir, destinada-se a tornar a BiblioTerapia possível, com a maior comodidade, autonomia e economia, depois de compreender, numa linguagem muito simples, os mecanismos da Ciência do Comportamento, da aprendizagem  e da interacção, actuação e convivência humana, para um equilíbrio psicológico adequado.

Destina-se também a apresentar muitas situações em que se fizeram consultas psicológicas e descrevem-se «casos» de psicoterapia realizadas com a ajuda do psicólogo ou até com sua colaboração mínima, quando não, sem qualquer ajuda e só com a leitura de livros.

Serve essencialmente para prevenção e profilaxia de dificuldades que todos podemos ter no nosso dia-a-dia e às quais nunca nos poderemos furtar num mundo que se diz «civilizado», mas provoca muitas tensões e incompreensões.

A leitura de muitos desses livros, a compreensão dos conceitos apresentados e das técnicas recomendadas, aliada à sua prática persistente, ajudam a manter uma boa saúde mental, a provocá-la ou até a melhorá-la, influenciando tanto o nosso desempenho como a vida familiar, profissional e social. As sugestões que são dadas para uma prática diária, mesmo à hora de dormir (e durante o sono)  englobam a reestruturação cognitiva, a logoterapia, o relaxamento mental, a análise psicológica profunda, a regressão, a aprendizagem com os erros cometidos e a imaginação de comportamentos futuros mais motivantes e sensatos, através da modificação do comportamento.

É uma economia real em quantidade de consultas e em tempos de espera, além duma melhoria da qualidade de vida, comodamente adquirida «antes do mal ficar instalado»,  sem as constantes deslocações morosas e distantes, para consultórios de especialistas, depois do desequilíbrio psicológico, com as despesas inerentes.

Está intimamente ligada ao blog [psicologiaparaque.wordpress.com] no qual,  para quaisquer esclarecimentos, todos podem fazer comentários (anónimos) que serão respondidos logo que possível.

HISTÓRIA DO NOSSO BLOG – sempre actualizada está repleta de informações dadas desde 2007 a muitas pessoas que quiseram «resolver» a sua situação duma maneira cómoda e económica. Basta ver os títulos e escolher por aí os inúmeros assuntos que interessam a cada um.

Esses conhecimentos podem ser melhorados e ampliados com poucas informações presenciais dadas a grupos de pessoas interessadas em cada caso (novo?).

Além da história do blog, os  links  apresentados a seguir destinam-se a que, com a consulta do post respectivo, cada um possa fazer a aquisição de qualquer dos livros indicados que podem ser recebidos à cobrança pelo correio.

SAÚDE MENTAL sem psicopatologia (A)

ACREDITA EM TI. SÊ PERSEVERANTE! (B)

Eu Também CONSEGUI! (C)

JOANA, a traquina ou simplesmente criança? (D)

Eu Não Sou MALUCO! (E)

PSICOLOGIA PARA TODOS (F)

PSICOPATA! Eu? (G)

COMBATA OU EVITE A DEPRESSÃO (H)

NEUROPSICOLOGIA NA REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO (I)

IMAGINAÇÃO ORIENTADA (J)

INTERACÇÃO SOCIAL (K)

PSICOTERAPIAS BEM-SUCEDIDAS – 3 casos (L)

PSICOTERAPIAS DIFÍCEIS (M)

COMPORTAMENTO NAS ORGANIZAÇÕES (N)

RESPOSTAS SOBRE PSICOLOGIA (O)

AUTO{psico}TERAPIA  (P)

BIBLIOTERAPIA (Q)

BEM-VINDOS – à BiblioTerapia

Também existe uma lista de livros anteriores, Livros Disponíveis antigos, precursores de alguns desta nova colecção:

Aceitam-se inscrições para tratar da publicação de novos livros.

E-mail:  mariodenoronha@gmail.com

**********************************

Veja também todos os comentários e os links associados, em letras GRANDES.

Conhecendo os livros com a consulta dos  posts respectivos que têm a descrição completa, a utilização de cada um, em casos individuais, pode ser obtida com a consulta do post HISTÓRIA DO NOSSO BLOG – sempre actualizada, onde têm vários posts relacionados com Biblioterapia

Veja o Relatório Anual de 2012 para este blog.

Aproveite a oportunidade enquanto ainda é tempo de prevenir.

Os pedidos dos livros já publicados devem ser feitos para:
E-mail:  mariodenoronha@gmail.com

Anúncios

3 comentários

8 de Julho de 2014 · 14:50

3 responses to “BIBLIOTERAPIA (Q)

  1. Mário de Noronha

    https://www.superplayer.fm/musicas-classicas
    As várias músicas clássicas tocadas com o link já indicado, relacionado com o anúncio de músicas clássicas, deixam-me mais calmo e concentrado no meu trabalho, só porque «a minha cabeça» gosta delas e se sente mais satisfeita. O que quero dizer com isto, é que cada um tem de escolher a música, o trabalho, a dieta, o tipo de actividade ou de lazer que mais se coadunam com um incentivo à calma, para um bom relaxamento mental e uma imaginação orientada num sentido proveitoso.

  2. Anónimo

    Estou a gostar deste tipo de exposição. Torna a procura mais fácil.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s