PSICOTERAPIAS BEM SUCEDIDAS – 3 «casos» (L)


Psi-Bem-C

Este livro descreve psicoterapias realizadas em 3 «casos» muito diferentes uns dos outros, mas satisfatoriamente resolvidos.

O primeiro, é o «Caso» da Cristina:
A Cristina, com curso superior e uma boa profissão, filha única de pais relativamente «bem instalados na vida», tinha dificuldade em lidar com outras pessoas. Isto repercutia-se negativamente na sua carreira profissional e no relacionamento social com colegas e clientes, apesar de ela não assumir que tinha essas dificuldades – não estava maluca!
A causa fundamental das suas dificuldades era a «educação» muito civilizada e preconceituosa de «sempre bem-educada», que os pais lhe tinham dado, sem saber o «mal» que isso lhe poderia fazer.
Este caso demonstra a importância fundamental do meio-ambiente familiar, social e cultural na estruturação da personalidade e sua interacção no meio em que se insere. É um facto muito frequente e que pode ser facilmente desmistificado com um conhecimento real do funcionamento do comportamento humeno isoladamente (F) e em interacção social  (K). Estas noções, com factos do dia-a-dia, podem ser «desmontados» e  realisticamente esclarecidos em público para evitar muitos desequilíbrios psicológicos totalmente evitáveis. 
O resultado da (pseudo)psicoterapia (em parte, familiar) foi muito encorajador e serviu como profilaxia para o futuro e para os pais reconhecerem os seus «erros» e modificarem muito voluntariamente as suas atitudes e comportamentos em relação à educação e à vivência social e familiar com os futuros vindouros.
Por isso, o tempo utilizado na sua psicoterapia (dissimuladamente, em casa dela), foi de 110 horas (equivalente a 220 períodos de psicoterapia). Se a psicoterapia individual fosse realizada apenas no consultório, com pleno consentimento, compreensão e colaboração da paciente, o número de períodos não excederia 100, em vez dos 220 períodos realizados em sua casa.
Houve necessidade de que ela, além de leitura orientada, praticasse o relaxamento mental em casa e isto deu-lhe capacidade de profilaxia e prevenção não só em relação ao casamento mas ainda no que respeita à educação dos futuros filhos.

O segundo, é o «Caso» da Germana:
Empregada de escritório, solteira, estava «amigada» com «Tal», um indivíduo casado que a tratava com pouca deferência e de quem ela não conseguia «livrar-se» por sua própria incapacidade.
Esta amantização exclusiva devia-se à sua dificuldade, devida aos problemas familiares, em manter uma vida social vulgar, como muitas pessoas da sua idade e condição social.
A psicoterapia foi efectuada individualmente no consultório. Para que proporcionasse um resultado satisfatório e duradouro, houve necessidade de fazer 44 períodos que foram acrescidos de cerca de 500 períodos de treino em casa e alguma laitura orientada. Se houvesse uma melhor compreensão e uma maior colaboração inicial, o número de períodos no consultório poderia ter baixado de 44 para 35. Se porventura, não houvesse treino em casa, o número de períodos no consultório seria, seguramente, superior a 100, em vez de 44.
A Germana teve de interromper a psicoterapia antes de a finalizar, por motivos de força maior, mas esses motivos foram muito bons e válidos!
O resultado foi ela deixar o «Tal» e casar com outra pessoa, também com dificuldades emocionais, a quem ela conseguiu ajudar imenso na sua recuperação.

O terceiro, é o «Caso» do Januário:
O actual marido da Germana, de quem tem dois filhos, esteve muitos anos com desequilíbrios emocionais muito acentuados, devido à educação muito repressiva a que ficou submetido numa família à moda antiga.
Com a morte súbita do pai, tudo mudou e até o seu curso superior teve de ser interrompido quase no fim, para começar a trabalhar, sentindo-se cada vez pior consigo próprio.
Por isso, sujeitou-se durante mais de meia dúzia de anos à quimioterapia, psicoterapia e psicanálise, continuando a sentir-se cada vez pior e ficando desiludido com toda essas experiências, por causa dos péssimos resultados obtidos.
Sem saber mais nada a não ser as vantagens do relaxamento explicadas pela Germana, fez antecipadamente o equivalente a cerca de 1500 períodos de treino em casa.
Durante esse treino e depois de muitas leituras orientadas pela Germana, desconfiado com as psicoterapias, desejou saber as vantagens, desvantagens e características de mais de uma dezana delas, em cerca de 30 horas de conversa café.  Depois, mesmo sem uma compreensão adequada das causas do seu desequilíbrio psicológico, bastaram apenas 20 períodos no consultório, apenas num fim-de-semana, para atingir um resultado óptimo e duradouro.

(Centro de Psicologia Clínica)  ISBN 978-972-725-040-0;
14×21 [cm] / 264 páginas, 30,00 € (por publicar)

Quem desejar este livro, que será publicado logo que possível, deve enviar um e-mail para [mariodenoronha@gmail.com]

Enquanto não encontrar este livro, pode utilizar, em sua substituição:

SUCESSO NA VIDA! Por Que Não?
(PLÁTANO, ISBN 972-770-223-6) (Como «EDUCAR» Hoje, da HUGIN).
STRESS? Reduza-o já! (PLÁTANO, ISBN 972-707-284-4).
PSICOTERAPIA Para Quê? (PLÁTANO, ISBN 972-707-301-8).

*********************************

Veja também todos os comentários e os links associados.

Conheça os livros consultando todos os posts que têm a descrição completa de cada um.

A utilização de cada livro em casos individuais pode ser obtida com a consulta do post HISTÓRIA DO NOSSO BLOG – sempre actualizada.

Para adquirir os livros que escolher, clique aqui.

Veja o Relatório Anual de 2011 para este blog.

Anúncios

Deixe um comentário

Filed under Psicologia

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s